Terça, 21 de Agosto de 2018
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

Glória Somente a Deus

Pastoral

Aquiles é descrito como um grande guerreiro da mitologia grega, talvez o maior de todos. Conhecido por sua desenvoltura e habilidade militares, foi imbatível em todas as suas batalhas até ser ferido no calcanhar e morto pelos troianos. Entretanto, poucos conhecem a motivação de Aquiles ao empreender a guerra contra Tróia em nome do rei grego Agamêmnon.

Diz a mitologia que os oráculos gregos previram a morte de Aquiles antes mesmo de ele ser treinado para o combate, mas sua participação na guerra traria inaudita glória ao seu nome diante de todas as nações mesmo após sua morte. Sua mãe, Thétis, ciente da profecia, tentou, em diversas ocasiões e por inúmeras maneiras, impedir que seu filho se tornasse o guerreiro que haveria de ser. Subjugado pelo medo da morte precoce, mas seduzido pela glória que lhe renderia, Aquiles se viu entre a escolha por uma vida longa, porém ordinária e prosaica, e uma morte prematura que, todavia, atribuiria a seu nome glória e memória eternas.

Um fenômeno curioso tem ocorrido nas redes sociais entre muitos daqueles que se intitulam crentes ou evangélicos. Eles começaram a publicar em seus perfis pessoais ou em páginas criadas para esse propósito frases de efeito ou pequenos textos com conteúdo teológico. Utilizando ferramentas como fundos com paisagem ou a foto do autor, subscrevem a aludida citação seguida pela fonte, mesmo que seja eles mesmos.

Por exemplo, um jovem, administrador de uma famosa página cristã, parafraseou um versículo bíblico, colocou num fundo bonito e publicou subscrevendo seu nome. A postagem recebeu numerosas curtidas e foi compartilhada várias vezes, promovendo, assim, a suposta capacidade literária daquele rapaz que havia simplesmente reordenado as palavras de um trecho da Palavra de Deus.

Em outras ocasiões, pessoas empregam belas frases de efeito para afirmar o que é óbvio àquele que se alimenta da Palavra de Deus diariamente (o problema de crentes estarem se alimentando espiritualmente somente de frases de efeito e textos de redes sociais, desprezando, assim, a importância da leitura diária da Bíblia, será tratado em pastoral posterior).

Minha intenção não é criticar o conteúdo desses textos ou frases, os quais muitas vezes são apurados teologicamente e proveitosos para a edificação daqueles que visualizam. Entretanto, quero questionar a motivação dessas pessoas que, acometidas por uma "síndrome de Aquiles", promovem a própria imagem ou o nome de outrem, buscando, no fim das contas, curtidas, compartilhamentos, seguidores e, enfim, glória para si próprios.

Esse tipo de conduta não se harmoniza com a postura do bom soldado de Cristo. Em primeiro lugar, o cristão tem um único alvo em tudo que faz: a glória de Deus (1Co 10.31). Em segundo lugar, ele reconhece que tudo provém do Rei e somente a ele deve ser prestada toda glória e honra (Rm 11.36; Ef 3.20-21).

Ademais, o servo fiel deseja que seu nome desapareça diante dos homens para que o nome de Cristo seja promovido, honrado e adorado (Jo 3.30). E nas ocasiões em que possa ser idolatrado e ter sua imagem elevada, ele rejeita tal atitude e aponta para Deus como único alvo de toda adoração (At 10.25-26; Ap 19.10; 22.9).

Além disso, o crente piedoso reconhece sua própria incapacidade e inadequação diante da glória de Deus (Is 6.5; Rm 7.24) e não tem qualquer motivo para se orgulhar quando realiza aquilo que é puramente sua obrigação (1Co 9.16-17). Portanto, no púlpito ou nas redes sociais, o crente humilde demonstra ser mero porta-voz das verdades bíblicas advindas apenas da Palavra de Deus.

Por fim, à semelhança de Aquiles, o cristão verdadeiro foi arregimentado para travar uma guerra (Ef 6.12) com o claro objetivo de obedecer a ordens e buscar exclusivamente os interesses do Rei Jesus (2Co 10.4-5; 2Tm 2.3-4). Contudo, ao contrário do herói grego que morreu visando à sua própria glória, o cristão genuíno vive unicamente para a promoção da glória do Senhor (Rm 16.27; Gl 1.3-5; Fp 4.20; Ap 7.2) mesmo que isso lhe custe a própria vida.

Isaac Araújo Pereira

IBR Pinheiros


Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.