Quinta, 13 de Agosto de 2020
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

image image image image
Aulas Infantis em Vídeo Aulas bíblicas em vídeo para crianças de turmas de 3 a 7 anos e de 8 a 12 anos, centralizando o estudo da Palavra de Deus.
EstudeTeologia a Distância | Curso CADETE Online Inscreva-se no curso teológico da Igreja Batista Redenção e torne-se mais fluente na teologia cristã e no uso das Escrituras.
DEVER | Descobridores da Verdade O Dever é um dos trabalhos evangelísticos e de ensino bíblico da Igreja Batista Redenção voltado a crianças e jovens de 4 a 15 anos.
Apoie Se você tem acompanhado nosso site e tem sido abençoado por esse trabalho, há como apoiá-lo!

Igreja Batista Redenção

O ‘Pai Nosso’ como Esboço

Pastoral

Quando os discípulos de Jesus pediram que ele os ensinasse a orar (Lc 11.1), nosso Mestre proferiu a agora famosa Oração do Pai Nosso. Essa oração, porém, cujo objetivo, ao que parece, era servir como modelo para as súplicas agradáveis a Deus, teve seu propósito e natureza desvirtuados pela mente sempre pervertida dos homens.

Com efeito, alguns a transformaram numa espécie de mantra que deve ser repetido dezenas de vezes para a obtenção de algum benefício espiritual; outros, não muito diferentes dos primeiros, acreditam que é um conjunto de frases mágicas que podem produzir algum bem àqueles que as pronunciam. Num outro extremo existem cristãos que, mesmo sabendo que a Oração do Pai Nosso está na Bíblia, evitam recitá-la no todo ou em parte, com medo de serem identificados com os papistas.

Pessoalmente, eu me distancio de todas essas concepções. Creio que o Pai Nosso é a mais perfeita súplica que existe, que o Senhor Jesus quer que a usemos como exemplo e que, de alguma forma, ela deve fazer parte da nossa vida devocional. Como, porém, isso deve ser feito?

Bem, deixe-me fazer uma sugestão aqui. Considerando que a Oração do Pai Nosso tem um propósito didático, servindo para nos ensinar a orar a Deus, acredito que uma boa maneira de demonstrar que esse propósito foi atingido em nossas vidas é fazendo dessa oração um tipo de esboço. Como?

É simples. Considere cada frase dessa linda oração e use o seu tema como um link para tudo que você pretende dizer e pedir. Por exemplo: a frase “santificado seja o teu nome” fornece a base para que glorifiquemos a Deus durante a nossa oração, destacando seus santos atributos ou pedindo que ele seja honrado com nossa vida, em nossa família e em nossa igreja.

“Venha o teu Reino”, é óbvio, deve ser dito para pedir que Jesus volte logo. Essa frase, porém, também pode nos conduzir a pedir que nossos amigos se convertam de modo que o Reino de Deus se expanda desde já, com o aumento de seus súditos. Tendo essa frase em mente, podemos também pedir que ele refreie o pecado no mundo, usando (quem sabe?) os nossos governantes para isso, de modo que os valores do império do mal não se espalhem ainda mais.

“Seja feita a tua vontade” serve para nos conduzir a agradecer pelas coisas que não ocorreram como nós queríamos, curvando-nos sob a soberania do Pai e reconhecendo sua sabedoria na condução de tudo. É também uma frase que pode nos levar a expor diante de Deus nossas ansiedades, deixando tudo em suas mãos poderosas.

“O pão nosso de cada dia dá-nos hoje”. Bom... Aqui chega a hora de pedir tudo de que temos fome. Confesso que quando oro seguindo esse modelo, esse é o momento de que mais gosto. É o momento em que eu peço tudo de que preciso e todas as coisas boas ao “paladar”. Peço, assim, que Deus me dê saúde, que os enfermos da igreja sejam curados, que minha viagem no feriado seja alegre, que eu possa comprar aquele presente bonito para a minha esposa, que minhas filhas tenham sucesso na vida, no estudo e no trabalho, que eu consiga pregar direito, que meus pais idosos não sofram tanto como têm sofrido... Peço, enfim, todo “pão” que ele puder dar. Não economizo pedidos nessa hora.

“E perdoa as nossas dívidas”. Ao recitar essa frase, é fácil notar que chegou a hora da confissão de pecados. Nesse momento eu me recordo de todas as minhas maldades e faltas. Lembro-me dos maus sentimentos que nutri no coração quando escrevi ou disse algo errado a alguém. Exponho as minhas cobiças, meus pensamentos mais sujos, minhas reações vergonhosas e toda minha autoindulgência, orgulho, ira e desejo de ser maior do que os outros. Como é difícil esse momento da Oração do Pai Nosso!

“Assim como nós perdoamos os nossos devedores”. Essa frase pressupõe que nós já perdoamos quem nos feriu. Porém, se isso ainda não aconteceu, chegou então o momento de fazê-lo e de dizer isso a Deus ou, pelo menos, pedir-lhe que nos capacite a perdoar. Nesse instante podemos também orar pelo bem dos nossos inimigos, suplicando que o Senhor lhes conceda graça, misericórdia e paz. Não é um momento muito fácil para quem ora seguindo o Pai Nosso como esboço.

“E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do maligno”. Nesse estágio da oração, reconhecemos toda nossa fragilidade e dependência. Aqui pedimos forças para não fazer as coisas erradas que desejamos fazer e abandonemos de vez os pecados nos quais, vira e mexe, caímos. E não estou falando aqui somente de pecados nível hard. Estou falando também de “pecadinhos” como a fofoca, o desprezo por alguém, a preguiça de ir à igreja, a brincadeira de duplo sentido, o viver de cara fechada, a alfinetada no cônjuge, a olhadela no filme imoral... De tudo isso, seguindo a Oração do Pai Nosso, pedimos livramento, sabendo que essas coisas nos torturam, entristecem e escravizam.

Depois desse último pedido, a oração acaba. Tem mais um pedacinho na versão de Mateus, mas a crítica textual questiona se faz parte mesmo do original. Eu opto pelo texto mais curto, pois atende um princípio da crítica que, para mim, faz todo sentido. Isso, porém, não vem ao caso agora. O que quero no momento é apenas sugerir que, quando forem orar, usem, de vez em quando, o Pai Nosso como esboço. Talvez (e somente talvez) essa seja mais uma maneira de mostrar que somos discípulos de Jesus, o Deus amado, de quem é “o Reino, o poder e a glória para sempre. Amém”.

Pr. Marcos Granconato

Soli Deo gloria

 

Apoia-se

 

CULTO ao Vivo (clique na figura)

IBR nas Redes Sociais



Pastorais Recentes

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15

IBR SermonAudio

 
 

Reuniões

Domingos
09:30
11:30
18:00

 
Culto e EBD
Classe Novos Membros
Culto

Quartas
19:30

 
Culto de Oração

Sábados
10:00
19:00


Crianças
Jovens e Adolescentes

Endereço:

Av. General Ataliba Leonel, 3780
Parada Inglesa - São Paulo/SP

Veja o mapa (clique aqui)

Contato:

Ev. Leandro Boer

Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 

Visitantes Online

Nós temos 60 visitantes online

Estudos Bíblicos Durante a Semana

Todas as quartas-feiras no culto de oração, às 19h30, temos estudos bíblicos detidos e sequenciais. O Pr. Marcos Granconato está expondo detalhadamente a carta aos Hebreus. Participe!

Reflexões Diárias em Vídeo

A IBR publica diariamente reflexões em vídeo para que os internautas entendam melhor a Bíblia além de eliminar dúvidas ou erros de interpretação comuns. Acesse a playlist e estude as Escrituras (clique aqui).

Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.