Quarta, 05 de Agosto de 2020
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

A Síndrome da Mão Alheia

Pastoral

Há uma doença rara no mundo, causada por um distúrbio neurológico, que é chamada de síndrome da mão alheia. Quem tem tal doença não tem o domínio de uma das mãos e esta age involuntariamente. É como se o membro do corpo tivesse vida própria, podendo fazer qualquer coisa, desde gesticular até desabotoar os botões de uma camisa enquanto a outra mão tenta abotoar. A doença também é conhecida como síndrome da mão anárquica, por sua tendência a fazer o contrário do que a outra mão faz.

Fazendo uma analogia ao corpo de Cristo, vamos observar três atitudes que este membro rebelde revela:

1º) Falta de unidade;

2º) Falta de auxílio;

3º) Falta de amor.

Na igreja de Cristo, parece haver crentes que sofrem dessa síndrome. São crentes que não se cansam de ser anárquicos, pois vivem em “pé de guerra” com o corpo de Cristo. Ora ficam afastados do corpo, não tendo comunhão com ele, ora atrapalham seus objetivos e agridem o corpo comprado com o sangue do Salvador.

É estranha a atitude de alguns crentes que buscam uma relação “superficial” com o corpo de Cristo. Alguns não veem problemas nisso, mas a questão é que há alguns aspectos da vida cristã que só podem ser vividos junto ao povo de Deus. A Bíblia diz que não é fácil viver em unidade (Ef 4.3 –“esforcem-se”), mas que é responsabilidade de todos os crentes evitar que a unidade no corpo de Cristo seja perturbada, uma vez que ela foi produzida mediante a morte expiatória de Cristo (Ef 2.14-22). A Palavra de Deus também é clara ao dizer que o corpo de Cristo deve viver em plena unidade e que o nosso modelo de união é o do próprio Senhor Jesus com o Pai (Jo 17.20-23). Você tem a síndrome da mão alheia e vive desunido com o corpo? Ou pretende, hoje mesmo, extinguir essa síndrome do corpo de Cristo?

Mais estranha ainda é a atitude de alguns crentes que vivem na “contramão” do corpo de Cristo. Para eles, nada pode ser unânime. Logo, estão sempre prontos a serem contrários. Se não bastasse isso, vivem buscando novos “aliados” e, com suas reclamações e frustrações sobre a igreja, alimentam outros “companheiros”. Eles nunca cooperam com o corpo e da sua boca não saem palavras de apreciação e preocupação real com a edificação do corpo de Cristo. A esses acusadores do povo de Deus, Jesus chamou de “pedras de tropeço” (Mt 16.23). Contudo, a súplica do apóstolo Paulo é para que os membros do corpo vivam em constante concordância e paz, buscando se aperfeiçoar e se exortando mutuamente (1Co 1.10; 2Co 13.11). Você tem a síndrome da mão alheia e vive atrapalhando o corpo, ou pretende, hoje mesmo, extinguir essa síndrome do corpo de Cristo?

Por fim, estranha mesmo é a atitude de alguns crentes que agridem e deixam suas marcas no corpo de Cristo. Geralmente, suas agressões contra a igreja são fruto de mágoas, angústias e ressentimentos. Eles não medem esforços para não perdoar verdadeiramente os demais membros do corpo e, com sua postura de falsa santidade, ferem e deixam suas marcas nos outros fazendo com que se sintam mal. A orientação bíblica é para que nos livremos da amargura e de outros males e, em vez disso, nos revistamos de bondade e piedade, nos perdoando mutuamente como Cristo nos perdoou (Ef 4.31,32). Você tem a síndrome da mão alheia e vive agredindo o corpo? Ou pretende, hoje mesmo, extinguir essa síndrome do corpo de Cristo?

O desejo de Cristo é ver o seu povo, que foi vocacionado, vivendo e trabalhando em plena união. Cada crente, como parte do corpo, deve realizar com excelência sua função de acordo com a orientação de Cristo, que é a cabeça. Que tipo de membro você é no corpo de Cristo?

Jairo do Nascimento

 

Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.