Quinta, 01 de Dezembro de 2022
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

Maior do que o Amor de Mãe

Pastoral

Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim não é digno de mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim. (Mt 10.37)

Se perguntássemos a qualquer pessoa comum acerca dos seus maiores afetos, sem dúvida as respostas, na maior parte das vezes, seriam assim: “As pessoas que mais amo no mundo são meus pais” ou “as pessoas que mais amo são meus filhos”. Essas respostas são esperadas porque nossos pais e nossos filhos são objetos de afeição natural. Somente indivíduos muito depravados são desprovidos desse tipo de amor (Rm 1.31).

Apesar do profundo afeto que temos por parentes tão próximos, há na Bíblia o ensino de que nosso amor por Cristo deve ser ainda maior. Isso suscita perguntas intrigantes: como podemos nutrir por Jesus sentimentos de afeto mais intensos do que os que nutrimos pelos pais ou pelos filhos?; afinal de contas, esses afetos são involuntários, não é mesmo?; como podemos controlar a medida deles e direcioná-los mais para Cristo do que para parentes tão chegados?

A resposta a essas indagações é uma só. Quando Jesus ensinou que devemos amá-lo mais do que a qualquer outra pessoa, ele não estava falando sobre sentimentos de afeto. É claro que devemos amar Jesus com nossos sentimentos também, mas não era esse o ponto que nosso Senhor queria frisar.

Com efeito, no texto de Mateus 10.37 o que o Mestre ensina é que, numa situação de conflito em que temos de escolher entre agradar a Jesus e agradar aos pais ou aos filhos, nossa escolha deve ser ficar ao lado do Salvador, mesmo que percamos a amizade dos nossos parentes (Mt 10.34-36). É isso o que significa amá-lo mais do que a qualquer pessoa. E se nosso amor por ele não chega a esse ponto, não somos dignos de ser chamados seus discípulos. Você ama a Cristo mais do que a seus pais e filhos?      

Marcos Granconato
Soli Deo gloria

Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.