Segunda, 14 de Outubro de 2019
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

Provérbios 20.7

  

Provérbios 20.7

“O homem justo leva uma vida íntegra; como são felizes os seus filhos!” (Pv 20.7 NVI). 

Certa vez, foi feito um levantamento entre seiscentos adolescentes que estavam detidos nas prisões da Nova Inglaterra, revelando fatos surpreendentes a respeito das razões pelas quais estavam ali. Seis em cada dez adolescentes presos tinham pais que bebiam em excesso, sendo que muitos deles tinham mães na mesma condição. Três em cada quatro tinham permissão dos pais para entrar e sair quando quisessem, sem qualquer supervisão. Sete em cada dez tinham casas em que nenhuma atividade familiar era mantida ou apreciada. E, em todos os casos, não havia qualquer momento de oração em família, nem frequência aos cultos.

A primeira fase da vida de toda criança é marcada por uma profunda admiração pela figura paterna. Por isso, é mais que comum se ver crianças que, ao serem perguntadas por seus projetos futuros, alistam as atividades dos pais, mesmo quando nem sabem o que significam. Porém, mesmo quando essa imitação irrestrita deixa de existir, os exemplos dos pais ainda são geralmente seguidos pelos filhos, queiram eles ou não — o modo de vida paterno atua profundamente na vida dos filhos. É por isso que Salomão o associa à condição futura dos filhos, dizendo que “o homem justo leva uma vida íntegra; como são felizes os seus filhos!”. O contrário, por paráfrase, também poderia ser dito na seguinte forma: “O homem injusto leva uma vida corrompida; como são infelizes os seus filhos!”. É óbvio que tal relação não resulta no mesmo fim todas as vezes, mas com certeza é muito frequente.

Há várias razões para a existência de tal relação. Uma delas é o exemplo paterno. Seja de um modo positivo ou negativo, consciente ou não, os filhos conhecem o universo dos relacionamentos e das atitudes dentro dos seus lares. Gostando ou não, em um momento ou outro da vida eles irão reproduzir o que aprenderam, pois, em suas mentes, isso é o natural. Outra razão é a consequência das escolhas dos pais. Muitos pais deixam para os filhos bens, negócios, livros, aprendizado, lembranças ou exemplos. Outros pais deixam como herança aos filhos somente problemas, dívidas, traumas, mágoas e péssimos exemplos a serem seguidos. O certo é que as consequências dos seus atos, sábios ou tolos, influenciam os rumos das suas e vidas e atingem também a vida dos seus filhos. Portanto, cada pai e mãe devem refletir muito bem no modo de vida que querem levar, sabendo que isso afetará para melhor ou para pior a vida daqueles a quem mais amam.

Pr. Thomas Tronco

Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.