Quarta, 05 de Agosto de 2020
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

De Onde Vem a Depressão e como Tratá-la?

Pastoral

“O coração ansioso deprime o homem, mas uma palavra bondosa o anima” (Pv 12.25 NVI). 

A década passada foi marcada pelo crescimento exorbitante de casos de estresse. A humanidade entrou em uma corrida contra tudo e acabou deixando sua saúde chegar em segundo lugar. Nossa década é marcada por outra desordem: a “depressão”. Uma geração desanimada, frustrada, desencorajada e, pior, drogada, dependente de medicações fortes para manterem o ânimo, a coragem e o bom humor. Mas, por que isso ocorre?

Salomão tinha essa resposta quase um milênio antes de Cristo. Ele conhecia o fator etiológico que “deprime o homem”. Apesar de haver casos em que isso é resultado de um desequilíbrio químico e hormonal do corpo, na maioria dos casos o fator que causa depressão nas pessoas é “o coração ansioso”. O problema é quase sempre o mesmo, mas as razões da ansiedade são diversas. Podem se tratar de medo do futuro, temor da criminalidade, frustração no casamento, problemas com os filhos, dificuldades no trabalho, problemas financeiros e relacionamentos turbulentos. Nenhum desses fatores está ligado a uma condição física que deve ser tratada com remédios prescritos por um médico. Nós os chamamos de “problemas do coração”.

Essa ansiedade, quando não é tratada pela Palavra de Deus e pela confiança no Senhor, é capaz de derrubar qualquer um. Nesse caso, medicações fortes agem como a bebida para os ébrios: um modo de fugir da decepção. Entretanto, o “doutor” Salomão oferece também o tratamento para esse mal. Não são remédios de tarja preta, mas “uma palavra bondosa”. Segundo esse médico da alma, a palavra bondosa “anima” o deprimido. Por isso, as Escrituras nos ensinam a fazer exortações, ou seja, nos encorajar mutuamente (Hb 3.13). Ela ensina como tais exortações fortalecem os discípulos de Cristo (At 20.2). Assim, a igreja do Senhor é chamada a desenvolver um ministério salutar no meio do seu povo. No final das contas, as palavras encorajadoras e verdadeiras dos servos de Deus podem ser um remédio mais potente que analgésicos e calmantes fortes: “Há palavras que ferem como espada, mas a língua dos sábios traz a cura” (Pv 12.18).

Se a igreja tem um papel importantíssimo no tratamento do coração deprimido, a própria pessoa acometida pela angústia tem sua responsabilidade. Em lugar de um “espírito oprimido”, deve buscar um “coração bem disposto”: “O coração bem disposto é remédio eficiente, mas o espírito oprimido resseca os ossos” (Pv 17.22). É possível ver nesse texto quanto o próprio corpo pode sofrer com um abatimento da alma que chamamos de depressão. Porém, o remédio está em uma atitude que reage à tristeza, à decepção e ao medo com disposição de enfrentar tudo isso. É claro que é fácil dizer isso. A pergunta é “como?”. Davi, que passou por angústias indescritíveis, ensina ser necessário desenvolver esperança em Deus: “Por que você está assim tão triste, ó minha alma? Por que está assim tão perturbada dentro de mim? Ponha a sua esperança em Deus! Pois ainda o louvarei; ele é o meu Salvador e o meu Deus” (Sl 42.11).

Por fim, é necessário também ler e aprender das Escrituras, pois, além de nos informar corretamente sobre Deus e sua vontade, também elas têm grande influência sobre o coração dos abatidos: “A lei do Senhor é perfeita, e revigora a alma. [...] Os preceitos do Senhor são justos, e dão alegria ao coração. Os mandamentos do Senhor são límpidos, e trazem luz aos olhos” (Sl 19.7a,8). O poder curador da Palavra de Deus em casos de depressão está em — além de nos lembrar das maravilhas que o Senhor tem para nós no presente e no futuro — corrigir erros que produzem desilusões como objetivos maltraçados, impulsos egoístas, ilusões falsas forjadas pela mídia e convicções erradas. O remédio, nesse caso, não é ingerido pela boca a fim de cair no estômago, mas é absorvido pelos olhos e deve repousar todo o tempo na mente do servo do Senhor: “Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas” (Fp 4.8).

Assim, aqueles que atravessam maus momentos devem ser sábios e buscar ajuda devida entre o povo de Deus, nas Escrituras e no próprio Salvador Jesus a fim de serem lembrados das verdades eternas e serem encorajados a continuar ombro a ombro com pessoas que realmente se importam com ela e não com seus recursos financeiros. Que os médicos tratem os desequilíbrios químicos do corpo e que todos os outros causadores de depressão nos crentes sejam tratados pela verdade, pelo amor e pela esperança no nosso redentor Jesus Cristo. No final, o melhor tratamento para depressão é gratuito e não deixa os sentidos entorpecidos.

Pr. Thomas Tronco

 

Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.