Quinta, 01 de Dezembro de 2022
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

Reforma Protestante: um Movimento Libertador

Pastoral

O dia 31 de outubro de 1517 é lembrado como o dia da Reforma Protestante. Nessa data, Martinho Lutero fixou suas 95 teses na porta da igreja do Castelo de Wittemberg, dando início ao movimento que fez tremer as bases do papismo e originou as igrejas protestantes.

A Reforma foi importante por diversos motivos. Dentre eles, os principais, como seria de se esperar, dizem respeito ao cristianismo. De fato, nesse aspecto, a reforma foi crucial porque redefiniu a questão da autoridade na igreja, resgatou a doutrina da justificação pela fé somente e devolveu ao cristão comum o seu lugar dentro da comunidade dos santos.

Com efeito, na questão da autoridade, o catolicismo medieval tinha colocado exclusivamente nas mãos do papa o poder de decidir qualquer questão no âmbito espiritual e doutrinário. A palavra final nesses assuntos era do bispo de Roma e todos que a desafiassem eram punidos com a temida espada da excomunhão. Com o advento da Reforma, porém, a autoridade sobre a igreja foi atribuída novamente à Bíblia, a qual passou a ser vista como regra exclusiva de fé e conduta para os cristãos (2Tm 3.16).

No tocante à doutrina da justificação, o romanismo havia ensinado durante séculos a necessidade de boas obras, peregrinações, penitências e compra de indulgências para que o homem fosse salvo. Lutero e os demais reformadores, porém, insistiram na doutrina paulina de que, para ser considerado justo diante de Deus, basta que o homem creia no Filho de Deus e o receba pela fé (Rm 1.17).

Finalmente, quanto ao lugar do cristão comum dentro da igreja, o catolicismo havia ensinado uma hierarquia na qual o leigo se encontrava na base ou até fora da pirâmide eclesiástica. A doutrina protestante, contudo, declarou que os fiéis fazem parte da igreja sem qualquer distinção, sendo todos membros de um sacerdócio que tem acesso direto a Deus (1Pe 2.9).

É por isso tudo que a Reforma Protestante deve ser considerada um movimento libertador. Como se vê, Deus a usou para libertar o homem da tirania, da mentira e do desprezo que por cerca de mil anos torturaram a humanidade.

Marcos Granconato
Soli Deo gloria
Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.