Sexta, 22 de Novembro de 2019
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

Provérbios 27.21

  

Provérbios 27.21

“O crisol é para a prata e o forno é para o ouro, mas o que prova o homem são os elogios que recebe” (Pv 27.21 NVI).

Depois de um grande concerto ao ar livre no Lewisohn Stadium, em Nova York, a grande cantora Marian Anderson, uma das maiores intérpretes do século 20, recebeu um maciço e acalorado aplauso da multidão. Logo após, mais de mil pessoas se aglomeraram ao redor da entrada dos bastidores pedindo apenas por um vislumbre da mulher que os havia tocado tão profundamente. Em resposta aos contínuos apelos, a grande cantora saiu para a varanda, ainda com o vestido branco do concerto, e, ficando completamente em silêncio e imóvel por um momento, disse baixinho para a multidão: “Obrigado por terem me deixado cantar”.

Essa certamente foi uma reação que intrigou muita gente, pois, normalmente, as pessoas costumam se orgulhar em situações assim, sentindo-se melhores do que as outras e julgando-se merecedoras de todo tipo de aplauso e elogio. Mas a humildade dessa cantora fala muito mais sobre ela do que todos os aplausos que recebeu ao longo da sua vida. Na verdade, os elogios e louvores mexem tanto com as pessoas que acabam sendo um ótimo teste de caráter. Para falar sobre isso, Salomão estabelece, como base de comparação, o calor da forja sobre os metais, dizendo que “o crisol é para a prata e o forno é para o ouro”. O “forno” aqui citado não serve para a culinária, mas para derreter o ouro a fim de purificá-lo. Assim também o “crisol”, que é recipiente no qual se purificava a prata. Em ambos os casos, os metais preciosos são derretidos, permitindo a manipulação das sujidades e a avaliação da pureza daquele metal.

Do mesmo modo, o escritor afirma que “o que prova o homem são os elogios que recebe”. É como se o homem fosse o metal precioso e os elogios fossem o calor do forno e o fogo sobre o crisol. Se o ouro não pode ser avaliado por fora, mas precisa ser pesquisado quando derretido, o homem, ainda que aparentemente virtuoso, deve também ser posto à prova a fim de se avaliar seu verdadeiro valor. Mas não é com fogo que se faz isso e sim com elogios. Basta ver alguém ser muito elogiado e notar sua reação para saber o que há em seu coração. Caso ele demonstre gostar demais dos louvores que recebe e passe a se exibir ainda mais, trata-se de alguém orgulhoso e arrogante que ama mais a si do que a Deus. Mas se ele for comedido e contido, negando-se a receber o mérito por coisas que são fruto da graça de Deus sobre sua vida, então se pode concluir que se trata de alguém humilde, que sabe o quanto depende de Deus e que deseja que todo louvor seja direcionado ao seu Senhor. Por isso, olhe para si mesmo e repare qual é sua reação diante dos elogios. Ela fala muito sobre você.

Pr. Thomas Tronco

Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.