Sexta, 13 de Dezembro de 2019
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

Provérbios 26.1

  

Provérbios 26.1

“Como neve no verão ou chuva na colheita, assim a honra é imprópria para o tolo” (Pv 26.1 NVI).

Segundo o jornal It Happened in Canada (Aconteceu no Canadá), durante os primeiros dias da corrida do ouro no Norte de Ontário, em 1909, Sandy Mclntyre encontrou a famosa mina que leva seu nome. Ele a vendeu por 25 dólares a fim de comprar bebida alcoólica para consumo próprio. Anos mais tarde, ele ainda passava seu tempo choramingando em salões de bar enquanto a mina que ele descobriu produzia ouro no valor de 230 milhões de dólares. Imagine como a vida desse homem seria diferente caso não fosse dominado pela bebida.

Infelizmente, não é apenas a bebida que se mostra imprópria para o homem. Na verdade, muitas coisas acabam se transformando em pedras de tropeço para muita gente. Surpreendentemente, mesmo coisas boas acabam se tornando indevidas para certas pessoas. Será que, nesse caso, elas deixam de ser boas? Não! O real problema se encontra na tolice daquele que despreza os ensinos da Palavra de Deus, de modo que Salomão diz que “a honra é imprópria para o tolo”. Por isso é tão impróprio honrar o tolo quanto cair “neve no verão”. Parte da colheita israelita acontecia nessa estação do ano, de modo que uma frente fria que trouxesse neve ou pelo menos uma forte geada certamente mataria ou queimaria as plantas ainda no solo. Além disso, alguns tipos de fruto que eram deixados para secar ao Sol durante o verão também sofreriam danos com o frio intenso, de modo que a neve no verão seria prejudicial e inconveniente para o agricultor.

Tão prejudicial quanto neve no verão é a “chuva na colheita”. A ceifa encontra sua melhor condição em tempos mais secos em que a maturação dos vegetais se completa, os agricultores têm as melhores condições de trabalho e os produtos agrários são armazenados sem umidade para que durem e se mantenham em perfeitas condições. A chuva, apesar de ser fundamental durante o plantio, é muito imprópria na hora da colheita. Do mesmo modo, a honra, mesmo sendo boa como a chuva, torna-se inconveniente quando é aplicada ao tolo, pois, quando ele é honrado, acaba se sentindo melhor e superior aos outros, orgulhando-se disso. Por isso, o rei sábio desencoraja as honrarias a homens insensatos que vivem para ser elogiados. O melhor mesmo é lhes ensinar sabedoria pela Palavra de Deus e lhes mostrar sua pecaminosidade diante do amor e da graça do Senhor. Por outro lado, esse texto serve para que o servo de Deus faça uma autoanálise perguntando-se como costuma reagir aos elogios — questione-se se você se orgulha e se sente melhor que os outros (essa é uma marca do tolo). Ao contrário, seja humilde até que seja honrado pelo próprio Deus.

Pr. Thomas Tronco

 

Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.