Domingo, 22 de Setembro de 2019
   
Tamanho do Texto

Pesquisar

Provérbios 24.15,16

  

Provérbios 24.15,16

“Não fique de tocaia, como faz o ímpio, contra a casa do justo, e não destrua o seu local de repouso; pois ainda que o justo caia sete vezes, tornará a erguer-se, mas os ímpios são arrastados pela calamidade” (Pv 24.15,16 NVI).

Quando eu morava no interior de Minas Gerais, ouvi uma história curiosa. Eram os dias dos cangaceiros no sertão e um grupo desses bandidos resolveu dar cabo de um casal de crentes em seu sítio rural, plano que nunca chegou a ser posto em prática. Muitos anos depois, esse casal de crentes estava na igreja e foi abordado por um senhor de aparência rude com uma Bíblia na mão, o qual confessou ser o líder dos cangaceiros que pretendiam matá-los. Ele, nos últimos anos, havia se convertido a Cristo. Sua pergunta foi: “Quem os alertou naquela noite de que iríamos atacá-los?”. Como eles responderam que não sabiam de nada daquilo, o ex-cangaceiro perguntou quem eram os inúmeros soldados que cercavam e protegiam a casa, coisa que nunca foi do conhecimento do casal. Com isso, o homem concluiu: “É verdade, então, que o anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem” (cf. Sl 34.7).

É difícil avaliar todos os fatores envolvidos nessa história, mas uma coisa é muito verdadeira: o Senhor se importa com os seus e se digna a protegê-los de inimigos perigosos quando isso não faz parte dos seus planos para edificá-los como servos e para glorificar seu próprio nome. Assim, é dito, não ao servo de Deus, mas ao seu inimigo: “Não fique de tocaia, como faz o ímpio, contra a casa do justo, e não destrua o seu local de repouso”. É um conselho simples, mas que traz uma carga muito grande de significado. A razão implícita é que Deus é o juiz de injustiças como essa. A identificação do “justo” como sendo o alvo do “ímpio” faz o leitor entender imediatamente de quem o Senhor tomará partido nessa disputa e como tratará a parte injusta e cruel — razão pelo qual os ímpios são desencorajados a seguir tais planos. A mensagem não dita, mas clara como o dia, é que Deus é o protetor e vindicador do justo.

A consequência não poderia ser outra. Em primeiro lugar, é dito que “ainda que o justo caia sete vezes, tornará a erguer-se”. Isso significa que Deus impede que ele seja abatido ou que continua com ele depois de seu revés, fazendo com que se fortaleça em sua Palavra e na fé até que o levante novamente, prosseguindo com seu cuidado, amor e proteção até o final da sua vida. Por outro lado, diz-se que “os ímpios são arrastados pela calamidade”, apontando para o fato de que o tratamento não é o mesmo e que as consequências da maldade recaem sobre os injustos e incrédulos até que sejam completamente abatidos. Por isso, um péssimo negócio é perseguir os crentes em Cristo, especialmente se for por causa de seu bom testemunho ou por sua fé em Jesus. Por isso, em vez de manter a inimizade, mude de lado. Ouça o testemunho do evangelho de Cristo e se entregue a ele pela fé. O anjo do Senhor também o protegerá como a um filho amado.

Pr. Thomas Tronco

Este site é melhor visualizado em Mozilla Firefox, Google Chrome ou Opera.
© Copyright 2009, todos os direitos reservados.
Igreja Batista Redenção.